Nove Estratégias de Pessoas Perigosas

de Christine Hammond, MS, LMHC
Tradução de Esly Carvalho, com autorização.

Você já esteve com alguém e imediatamente se sentiu incômoda? Quase como se pudessem ver através de você? E, depois, em poucos minutos, a pessoa o desarmou e, apesar do sentimento inicial de desconforto, você se envolve com eles. Pouco a pouco, eles parecem saber exatamente o que precisa ser dito ou feito para desfazer a sua parede. Então, você os deixa entrar, dizendo a si mesmo que não há nada de errado.

Pessoas perigosas têm essa habilidade. Eles parecem ter uma singular capacidade de se vincularem a pessoas que têm dinheiro, poder ou influência. Isto é feito para esconder ainda mais a sua forma traiçoeira de agir. Então, quando você as conhece, elas parecem ser saudáveis e atraentes, mas é uma armadilha, que pode lhe custar sua sanidade ou a vida. Conheça nove estratégias de uma pessoa perigosa.

  1. Aliar e isolar. A pessoa perigosa se alia com seus amigos e familiares que, afinal de contas, são teu Em seguida, elas compartilham com seus novos conhecidos uma “preocupação” com você em um esforço para “ajudá-lo”. Isso geralmente é feito em segredo para não “lhe machucar porque está preocupado com sua reação”. Em vez de lhe ajudar de verdade, a pessoa perigosa isolou você: acaba lhe impedindo de conversar justamente com as pessoas da sua rede. Lá na frente você se dá conta que não consegue obter ajuda de qualquer outra pessoa a não ser da pessoa perigosa.
  2. Incentivar e Alertar. Uma ferramenta comum é o álcool, no entanto, qualquer substância viciante pode ser substituída, tais como medicamentos, videogames, maconha, ou até mesmo gastar dinheiro. Quando você está com a pessoa perigosa, eles encorajam o comportamento viciante e participam dele em níveis insalubres. Mas se você se envolver neste comportamento sem eles (mesmo em níveis moderados), eles declaram que você é um adicto que precisa ser corrigido.
  3. Enfrentam e evitam. Não existe um acordo recíproco em relação à confrontação. Se a pessoa perigosa se confrontar com você, mesmo que isso seja feito de forma inadequada e misturado com ameaças abusivas, você deve recebê-la como sua demonstração de amor por você. Mas se você as confrontar, mesmo quando isso for feito com calma, a pessoa perigosa se recolhe e se recusa a receber qualquer crítica. Daí lhe acusam de ser dura e não ter um pingo de caridade.
  4. Iluminam e confundem. Pessoas perigosas têm um sexto sentido sobre elas. Elas são capazes de avaliar rapidamente uma pessoa em relação às suas vulnerabilidades, pontos fortes e pontos fracos. Para ganhar a confiança, elas expõem uma fração do que elas veem, o que faz com que você baixe a guarda. Uma vez que se obtém a confiança, a pessoa perigosa ataca – o que é completamente inconsistente com seu comportamento anterior e cria confusão. Quando percebem o seu desconforto, geralmente vão lhe acusar de ser “sensível demais”.
  5. Calma e raiva. Uma pessoa perigosa tem o dom de ser calma no exterior, enquanto permanece furiosa do lado de dentro. Não há sinais visíveis de sua raiva e, quando confrontadas, elas negam, mas a sensação de sua intensidade é inconfundível. Quando você diz: “Eu vejo que você está com raiva”, sua inclinação natural é questionar tua percepção ao pedir evidências externas. Incapaz de produzir alguma prova, a pessoa perigosa alega que você está “exagerando”.
  6. Facilitar e agravar. Na maioria das vezes, uma pessoa perigosa faz de tudo para deixá-la à vontade. Por exemplo, sua aparência é atraente, mas não tão atraente a ponto de chamar a atenção. Elas têm a quantidade certa de charme sem ser evidente. Isso lhe deixa à vontade. No entanto, há algo dentro de você que diz que nem tudo está bem. Toda a evidência externa diz que são pessoas que não fazem mal, mas seus instintos dizem outra coisa. Infelizmente, muitas pessoas se atropelam essa sensação, não confiando em seus instintos.
  7. Protegem e Prejudicam. Quando uma pessoa perigosa vê que outra pessoa lhe fez chorar, ela é rápida em entrar em cena para lhe consolar. Elas tendem a ser excessivamente protetoras e fazem comentários ameaçadores a você sobre fazer mal para outra pessoa porque o outro lhe machucou, mas raramente confrontam diretamente a essa pessoa. Mas quando a pessoa perigosa é a fonte de suas lágrimas, elas são frias e desconsideradas. Elas podem te machucar, mas outra pessoa não pode.
  8. Passivo e Controle. Outro dom de uma pessoa perigosa é a capacidade de saber quando se engajar em uma luta de poder e quando se afastar. Ao contrário das personalidades dominantes que querem estar no controle o tempo todo, estas pessoas estão dispostas a se tornar submissas quando isso for a seu favor. Isso é feito para desarmar ainda mais você. No entanto, elas ainda estão completamente no controle da situação, mesmo quando são passivas; podem se tornar dominadoras instantaneamente quando sentem que estão perdendo poder ou influência.
  9. Seguro e perigoso. As técnicas mencionadas são feitas para lhe dar a falsa percepção de segurança quando, na realidade, a pessoa perigosa é muito… perigosa. Frequentemente, essa insegurança ou incerteza acaba fazendo você se sentir como se não pudesse confiar em si mesmo ou, pior, que você está ficando louco. Você não está. Mesmo quando você não pode apontar para um item específico em relação ao que está acontecendo, apenas a sensação de que algo não está bem é suficiente.

Quando você estiver no meio de um encontro com uma pessoa perigosa, é provável que você se sinta maltratado, mas não terá nenhuma prova do abuso. Isto é um forte indicador de que você precisa se afastar dessas pessoas o mais rápido possível. Pessoas perigosas não podem ser “consertadas” por outra pessoa. Elas só se emendam se e quando virem a dor que causam aos outros. Mas esta é uma ocorrência extremamente rara. Qualquer mudança deve ser testada por um profissional.

Copyright ©2002-2019 Portal TraumaClinic
Proibida a reprodução ou utilização a qualquer título, sob as penas da lei.